2013-11-15

Dia Mundial da Tolerância - 16 de Novembro de 2013





Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, pela ocasião do Dia Internacional da Tolerância, 16 de novembro de 2013.

O Dia Internacional da Tolerância é uma oportunidade, para cada um de nós, de renovar nosso compromisso de praticar tolerância e promover harmonia. O rápido ritmo de globalização do mundo também o torna cada vez mais frágil. É por isso que, todos os dias, em todas as sociedades, devemos criar novos canais de tolerância, confiança e compreensão.
Essa tarefa demanda compromisso e tempo. Devemos começar com educação de qualidade para combater a ignorância, o preconceito e o ódio, que são as raízes da discriminação e do racismo. Precisamos da educação para debelar os medos que muitos sentem do desconhecido e de outras pessoas, suas culturas, suas escolhas e crenças. A educação é o melhor caminho para fomentar uma cultura de paz e construir sociedades inclusivas. 
A intolerância é um desafio global que toma muitas formas localmente. Para que seja efetiva, uma ação global deve ser complementada por medidas locais, nacionais e, igualmente, individuais.
Em nível global, a UNESCO está conduzindo a Década Internacional das Nações Unidas para a Aproximação das Culturas, lançada neste ano, para promover os benefícios da troca e do diálogo entre culturas e para construir novas redes para a luta contra o racismo e a discriminação.
Nós também trabalhamos em campo, onde as necessidades são mais agudas. Esse foi o objetivo de um projeto recente da UNESCO para promover a cultura de paz entre jovens mulheres e homens vivendo em Trípoli, no Líbano. Por meio de trocas entre o teatro e as artes, a UNESCO trabalhou com jovens de toda a cidade para aprofundar o entendimento mútuo, para aprender a viver e trabalhar juntos, para resolver diferenças usando o diálogo.
Para criar mudanças positivas, devemos constantemente nos fazer as seguintes perguntas. Como são garantidos os direitos de pessoas que pertencem a minorias sociais, nacionais, étnicas, religiosas, linguísticas ou outras em nossa comunidade, Estado e região? Estamos fazendo o suficiente para promover direitos igualitários e a dignidade de indígenas, trabalhadores migrantes, candidatos a asilo e refugiados, ou pessoas com necessidades especiais? As respostas a essas questões devem nos levar à ação.
Este Dia Internacional é uma chance para aprofundar nosso compromisso com o diálogo e a solidariedade tanto em nossas famílias e comunidades quanto nas relações com outros povos. A tolerância jamais deve ser subestimada. É uma maneira de viver que devemos constantemente reinventar para novos tempos, para reconhecer as diferenças de outros como iguais às nossas e as riquezas de outras culturas como um tesouro de todos a ser compartilhado.
Em um mundo de incertezas, em sociedades passando por profundas transformações, isso jamais teve tanta importância para a manutenção da paz duradoura e para o desenvolvimento sustentável..